Ah o Uruguai, que grata surpresa!

Desembarcamos em terras uruguaias no mês de abril. Do aeroporto de Carrasco, onde pegamos o carro, fomos direto para Punta Del Este, distante cerca de 120km, em uma estrada tranquila, toda em pista dupla e muito boa para dirigir.

Por ser uma época do ano fria, a cidade estava vazia, e não foi possível desfrutar de todos os encantos deste famoso balneário que é o mais charmoso da América Latina e um dos dez do mundo. Punta recebe um público bastante diversificado. Em alta estação chega a ser invadida por 400.000 turistas, e entre eles milionários e artistas de vários países. Por suas belezas naturais e turísticas, se torna um ponto bastante apreciado também pelos brasileiros.

Chegamos no meio da tarde e fomos explorar os arredores. A cidade é muito bonita, com prédios imponentes de arquitetura moderna. Belas casas de veraneio que conferem a cidade uma ar sofisticado.

CYMERA_20150704_203732

CYMERA_20150704_203833

CYMERA_20150704_203758

O céu estava cinza, o mar nervoso e nós congelando. A solução foi bater perna para se esquentar!

Punta dispõe de diversas opções de restaurantes. Como no frio a cidade tem poucos visitantes, encontramos alguns fechados. Jantamos no Les Caracoles, uma casa que nos pareceu aconchegante e amistosa em meio ao frio e ao vazio da cidade.

Boa comida, boa bebida e o melhor…..bom atendimento!

Gostamos tanto que voltamos outra vez.

No dia seguinte, hora de conhecer os pontos turísticos famosos. Passamos pela Playa Mansa e pela Playa Brava onde fica o monumento Los dedos. Impossível não parar para fotos!!!

CYMERA_20150704_192629

CYMERA_20150704_192655

Seguimos pela ponte ondulada para conhecer a praia de La Barra.

CYMERA_20150704_193947

Propositalmente aguardamos para nos dirigir a Casapueblo, que fica em Punta Ballena, distante cerca de 15km de Punta del Este, mais para o final da tarde. Queríamos muito assistir a “cerimonia del sol”.

Casapueblo é a antiga casa de veraneio do artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró. Construída com estilo semelhante as casas de Santorini (Grécia), ela acolhe um museu, uma restaurante e um hotel.

O local é lindíssimo, e o pôr do sol um desbunde!!!!!

CYMERA_20150704_192530

CYMERA_20150704_192559

CYMERA_20150704_192441

Ficamos embevecidos com tamanha beleza!!!!!

Já era noite, a fome bateu, e queríamos algo diferente. Escolhemos o L’auberge, um hotel charmosíssimo de Punta, que possui um “sálon de té” com o melhor waffle da cidade. Os waffles são feitos do modo tradicional, então, nada de pressa. Garantimos que vale cada minuto de espera!!!

CYMERA_20150704_191942

CYMERA_20150704_191842

No dia seguinte hora de nos despedirmos de Punta del Este rumo a Montevidéu.

Era manhã de sábado e a estrada estava calma.

Entramos na capital uruguaia direto pela orla. Mesmo fazendo um certo frio, o céu estava com um azul lindo e o sol brilhava majestoso.

A cidade era pura vida com o vai e vem das pessoas, bem diferente da calmaria que deixamos em Punta.

Fomos caminhar na orla conhecida como rambla. São 22km de calçadão, as margens do Rio da Plata.

CYMERA_20150704_192332

CYMERA_20150704_192404

O almoço foi no Mercado del Puerto. Não tem como pisar em Montevidéu e não conhecer este mercado!! Ponto turístico importante, que acolhe restaurantes e lojas de artesanatos.

A gastronomia do lugar fica por conta da parrilada, e a bebida mais famosa é a médio y médio, uma mistura de vinho branco e espumante.

CYMERA_20150704_192052

CYMERA_20150704_193920

O Teatro Solis é outra atração que não pode faltar no seu roteiro. O mais famoso teatro de Montevidéu, fica na cidade velha. Vale a pena fazer uma visita guiada pelo teatro e descobrir seus encantos.

Para informações acesse o site oficial no link:

http://www.teatrosolis.org.uy

CYMERA_20150704_193854

Muito próximo ao teatro, fica a Plaza Independência, que abriga um monumento a Artigas. Fazendo fotos pela praça e da porta de la Ciudadela, fomos abordados por um senhor que nos deu uma aula sobre Artigas, herói nacional de guerras.

CYMERA_20150704_193813

A porta da Ciudadela, é o que restou do muro que cercava parte da cidade de Montevideo no passado, e foi demolido em 1829.

CYMERA_20150704_192253

A partir da praça, seguimos cerca de 1km pela movimentada Av. 18 de julho para conferir a “Fuente de los Candados” ou fonte dos cadeados. Esta fonte é visitada por casais apaixonados que colocam nela cadeados com suas iniciais, reafirmando a união e o regresso do casal a Montevidéu.

Olha a Déborah aí tentando registrar o nosso cadeado.

CYMERA_20150704_193733

 

Saindo do centro em direção a orla, encontramos o Shopping de Punta Carretas que é outra atração da cidade. O local foi uma antigo presidio, e hoje é um centro comercial de nível internacional premiado por sua proposta arquitetônica. O shopping conta com diversas lojas de marcas renomadas.

CYMERA_20150704_192726

No dia seguinte, hora de ir para Bs.As. Saímos de Montevideo pelo porto em direção a capital Argentina. O translado pelo Rio da Plata, é feito por ferry boats, e existem três empresas que fornecem este serviço. Escolhemos o Buquebus, e decidimos fazer a viagem sem escalas direto para BsAs. O ferry é bastante confortável e conta com televisão, poltronas reclináveis, lanchonete,  free-shop e é possível contratar o serviço de internet.

Após 3 horas de travessia, eis que surge majestosa na outra margem do rio, Buenos Aires…….mas isso já é assunto para outro post.

CYMERA_20150704_192221CYMERA_20150704_192154

PUNTA CANA, Nosso paraíso!

Sim para nós o paraíso existe, e ele tem o nome de Punta Cana na República Dominicana.

Uma ilha do Caribe localizada na América Central e compartilhada na sua porção ocidental pelo Haiti.

Quando decidimos conhecer este lugar sabíamos que tudo nesta viagem seria diferente da forma como nós encaramos viajar.

Decidimos que seria uma semana de descanso e por isso um bom hotel seria necessário para nos ajudar a cumprir esta missão.

Após descobrirmos que esta parte da ilha tem mais de 40 resorts em sistema all inclusive, qual escolher se tornou um desafio ainda maior.

Os resorts contam com infraestrutura completa para tornar sua estadia inesquecível. Redes de hotéis de diversas partes do mundo possuem unidades nesta parte do país, oferecendo categorias de estadia para os mais diferentes tipos de “bolsos”.

Quanto mais longe sua carteira vai, mais regalias você consegue dentro dos resorts.

Isso vai desde a quantidade de piscinas que você pode usufruir, os restaurantes disponíveis, até a qualidade de alimentos e bebidas.

Não foi fácil, mas decidimos onde nos hospedar.

Diferente das outras viagens onde usamos sites tipo booking.com como ferramenta de reserva para hotéis, neste caso recorremos a uma agência de turismo.

Por se tratar se um pacote all inclusive, precisávamos estar cientes do que cada categoria disponibilizava, o que estávamos adquirindo e a que teríamos direito.

Escolhemos a CVC por possuir a melhor cotação do dólar.

Tiramos todas as dúvidas e efetuamos a compra.

Foi em março de 2014 nosso desembarque em terras dominicanas. Após uma noite e uma manhã viajando, quando chegamos ao hotel, o que mais queríamos era ver o mar.

Chegamos à praia por volta das 16hrs e nos colocamos a contemplar a beleza das nuances daquele mar azul esverdeado tão lindo. Após um drink de boas vindas, não negamos que adormecemos de cansados nas cadeiras da praia, maravilhados com aquele fim de tarde.

DSCN0349

Na manhã do nosso primeiro dia, nos dirigimos ao lobby do hotel onde as agências de turismo oferecem inúmeros passeios pela região.

A CVC estava lá com uma guia portuguesa que era uma simpatia. Há também agências locais oferecendo os mesmos passeios.

As opções vão desde nadar com golfinhos até viver um dia 100% VIP. Os passeios são incríveis, mas depende do quanto você está disposto a inve$$tir.

Os passeios são cobrados em dólar e podem ter preços beeem salgados.

O que não se pode esquecer neste momento é que você está em um resort all inclusive que possui diversas atrações. Talvez não seja o caso de gastar com um ou mais passeios por dia, e ao final não aproveitar nada do resort, que também não foi barato.

Escolhemos nosso passeio e fomos curtir o que o hotel tinha a nos oferecer.

Praia, piscina, restaurantes, bares, boate, casino, esportes, teatro, spas, festas, boa comida e boa bebida.

DSC03800

DSC03866DSC03804

Na praia do hotel compramos um passeio de parasailing, que se resume a andar em um paraquedas puxado por uma lancha.  D E M A I S!!

DSC03736 DSC03745

Como dito no início, esse foi um destino diferente. Ficamos a maior parte do tempo curtindo o hotel, e no meio de tudo isso conhecemos um sem número de brasileiros e fizemos amizades preciosíssimas. Essa parte da viagem, foi uma viagem a parte!!!

Ahhh, esqueci de comentar que o motivo real de nossa ida a Republica Dominicana foi COMEMORAR!!

Festejamos o aniversário de Alan, e nossos 5 anos de casados!!!

Tudo nessa viagem tinha cheiro, gosto e jeito de festa…….foi o máximo!

Em um dos dois dias que saímos do hotel, fizemos o passeio de Juanillo. Trata-se de uma praia exclusiva e paradisíaca tão bonita, mas tão bonita, que é difícil explicar.

DSCN0608 DSC03999

DSC04029 DSC04017

Saindo da praia fomos conhecer um cenote espetacular, chamado Hoyo Azul. Cenotes são cavernas ou grutas inundadas por água da chuva, que se tornam piscinas de água cristalina.

Aplausos à mãe natureza!!!!

DSCN0707 IMG_20140321_155919_050

No final nos levam para comprar os famosos charutos dominicanos, e a mamajuana, uma bebida típica feita com cascas de árvore, ervas, vinho tinto, mel e rum.

Foi uma viagem divertidíssima por conta dos novos amigos e do povo dominicano sempre alegre.

No último dia acordamos cedo rumo à praia, assistir mais um show da natureza. O sol nasce as 6:00hs e na praia do hotel vários hóspedes se reúnem para contemplar este belo momento.

Ele veio MAJESTOSO!!!

DSCN0917 DSC04169

Após 7 dias, hora de voltar pra casa, mas não sem antes fazer um balanço da última semana.

Dificuldades não impedem um povo de ser alegre. A mãe natureza trabalha com afinco e nos presenteia com belezas indescritíveis. Há sempre o que comemorar, comece pelo dia de hoje. As amizades são um presente de Deus. Sem sombra de dúvidas se há um paraíso na terra, para nós ele se chama Punta Cana!!!

IMG_50069336842097

Buenos Aires, a capital mais européia das Américas

O que falar da capital mais européia das Américas? Nos últimos anos invadida por brasileiros, atraídos pela valorização do real ante ao peso argentino, e curiosos em descobrir os encantos que o país dos “los hermanos” escondem.

Após algumas visitas a capital argentina, reunimos um compilado de dicas e de lugares que você não pode deixar de conhecer.

Em duas ocasiões ficamos hospedados no microcentro, há algumas quadras do famoso obelisco.

Como todo centro de uma grande cidade, não é bonito, mas de lá é possível caminhar e conhecer alguns pontos turísticos.

A calle Florida encontra-se neste miolo. Repleta de lojas, é uma rua onde só passam pedestres. Tem seu charme!! Pode-se encontrar artistas de rua e quando as lojas fecham, presenciamos um mercado informal no meio da rua onde se vende de quase tudo.

Seguindo nela em direção a avenida Córdoba encontramos a Galeria Pacífico. Um luxo a parte!  Impressiona ver o teto toda trabalhado com pinturas. Verdadeiras obras de arte! Vale caminhar por seus corredores, arriscar umas comprinhas ou simplesmente tomar um café admirando a beleza deste lugar.

Como Buenos Aires é uma cidade que convida a andar, você pode ir caminhando à Casa Rosada. A sede do governo argentino está aberta a visitações. Existem visitas guiadas gratuitas nos sábados, domingos e feriados, das 10:00 as 18:00hs com saídas a cada 10 minutos e duração de 60 minutos.

argentina07

Partindo da praça em frente a Casa Rosada pela avenida de Mayo e andando cerca de 4 quadras, encontramos o Café Tortoni. Lugar tradicionalíssimo e ponto de parada obrigatória para os turistas.

Entrar neste café, é voltar no tempo!! Carregado de história, suas paredes exalam arte e cultura.

É possível assistir a shows de tangos e se emocionar com este ritmo que é sem dúvida a alma dos porteños.

Maiores informações através do site http://www.cafetortoni.com.ar

Ainda no centro encontra-se o obelisco, ícone da cidade de Buenos Aires. Situado na avenida mais larga do mundo, a avenida 9 de Julio, com 130m de largura.

argentina09

Puerto Madero já foi uma das áreas mais degradada da capital argentina. Assim como aconteceu em grandes cidades portuárias pelo mundo, o porto de Buenos Aires passou por uma revitalização recebendo restaurantes, bares e tornando-se um lugar para a família toda passear.

Foi lá também um dos nossos contatos com a legítima parrila argentina. O local tinha fama, mas não gostamos da comida. Ficamos decepcionados. Um típico hermano nos indicou dois restaurantes no centro, mais simples, porém, segundo ele, iriam valer a pena.

Que felizes indicações!! Amamos o La Posada de 1820, e o El Establo. Ambos aconchegantes e com comida excelente!! Parrila como argentino gosta…….e nós também.

Saindo do microcentro ainda tem muito o que conhecer.

Partindo da calle Diagonal Norte, pegamos um ônibus de turismo que lhe permite descer no ponto desejado, conhecer o local e pegar o ônibus que passar depois. É possível adquirir o ticket de 24 ou 48 hrs. Informações através do site http://www.buenosairesbus.com/pt/

Indo a Buenos Aires, não se pode deixar de conhecer o Caminito. Fizemos essa parte com o ônibus que falei acima. A rua fica no bairro de La Boca, impregnada de cultura e arte e com um colorido inconfundível.

A qualquer hora pode-se encontrar casais dançando tango e loucos para faturar uma graninha se oferecendo para tirar fotos com turistas em poses dançando.

A rua é repleta de restaurantes e lojinhas para comprar souvenirs.

argentina02

A 400m do Caminito fica o Estadio de La Bombonera. Um ícone do futebol sul americano, neste estádio você pode visitar o museu, ou fazer um tour pelas dependências do estádio e conhecer o campo.

Tivemos a sorte de em duas ocasiões de assistir a jogos do Boca Juniors em La Bombonera. O estádio literalmente pulsa. Em um dos jogos o time estava numa das últimas colocações e os torcedores não pararam de gritar e cantar em nenhum momento.

Vale dizer que fizemos este passeio com uma empresa especializada visto que lá também existem torcidas organizadas perigosas.

Consulte http://www.bsas4u.com/ para maiores informações.

argentina01

Os shows de tango são em episódio a parte. Muitas são as opções espalhadas pela cidade. Nós escolhemos o Señor Tango, um dos mais tradicionais. Preferimos a opção de jantar + show e ficamos maravilhados com tudo que assistimos.

Realmente um espetáculo!!! O patriotismo está presente em todo o show e a partir deste dia passamos a admirar mais os irmãos argentinos.

No bairro da Recoleta fica o cemitério onde está enterrada Eva Perón. Muitos são os turistas que fazem questão de fotos, nós não vimos muitos motivos para isso.

Também na Recoleta fica a Floralis Genérica uma flor metálica que se abre durante o dia e se fecha a noite. Todas as vezes que estivemos por lá ela estava quebrada.

argentina10

Não muito distante fica o bairro de Palermo. Maior bairro da cidade é divido em Palermo, Palermo Soho e Palermo Hollywood. Na nossa última vez em BsAs ficamos em Palermo. Bairro bonito, tranquilo, com muitas árvores, onde as pessoas andam de bicicletas e você consegue se sentir como um morador argentino.

Ainda em Palermo encontramos o Zoológico de Buenos Aires e o Jardim Japonês. São muito próximos e podem ser visitados no mesmo dia. O zoo é bem diverso e alegre, já o jardim japonês é encantador. Amamos!!

Falando de zoológico, tivemos a oportunidade visitar o zoo de Lujan. Dista cerca de 100km da capital BsAs. É possível interagir com os animais de forma direta. Alguns sites comentam que os animais são dopados, mas o zoo informa que o fato deles interagirem sem problemas com os humanos, passa pelo fato dos animais ferozes como leões e tigres terem sido criados desde bebês com cachorros, que os ensinam a ser sociáveis. Outro ponto é a alimentação regular noturna que os deixa sonolentos durante o dia.

Foram momentos indescritíveis!!!

argentina04

argentina05

Somente aos domingos é possível e imperdível visitar a Feira da San Telmo. Aberta das 10:00 as 17:00hs, É a maior feira de antiguidades a céu aberta da América do sul. Pode-se encontrar verdadeiras relíquias e comprar coisas lindas para decorar sua casa.

A feira reúne antiguidades e coisas velhas, como eles mesmos dizem. A atmosfera é vibrante e singular. É comum ver dançarinos que nos encantam com shows de tango no meio da rua atraindo a atenção de todos.

argentina06

Uma dica, tente ser mais esperto que os taxistas. Muitos insistem em querer enganar o turista. Trocam as notas que você paga a corrida, por uma de menor valor e dizem que você se confundiu.  Sua reação é pagar de novo e só quando vai contar seu dinheiro descobre que foi enganado. Se possível tenha dinheiro trocado para pagar os táxis, evitando assim que receba notas falsas de troco.

Muitos brasileiros não passam por BsAs, sem dar um pulinho nos outlets. São lojas de diversas marcas no bairro de Vila Crespo que se estendem pela avenida Córdoba e pelas ruas Francisco de Aguirre e Gurruchaga. São roupas e sapatos de coleções passadas que podem valer muito a pena. Indicamos dar uma passadinha e conferir.

Certamente podemos ter esquecido de algo importante, mas este texto estará em constante atualização.

Vale ressaltar que a cada visita, a capital porteña nos brinda com uma nova faceta, um novo olhar. Não nos cansamos de visitar BsAs. Em janeiro dicas atualizadas após mais um retorno.

Até lá!!

Chile em 6 dias

Nossa viagem foi em agosto de 2013, época de frio onde os termômetros marcavam entre 4 e 16 graus. O inverno chileno pode ser rigoroso, mantenha-se aquecido.

Vamos lá!

1º dia – Assistir a troca da guarda no palácio de La Moneda. Começa pontualmente as 9:50 da manhã nos dias da semana, e as 10:50 nos finais de semana. Acontece em dias alternados, pares ou ímpares, a depender do mês. Recomendo verificar calendário em sites oficiais.

De lá fomos caminhando até a Plaza de Armas, onde fica a Catedral Metropolitana e o marco zero da cidade.

Também caminhando fomos para o Mercado Central e almoçamos uma bela centolla (caranguejo gigante ) servida com molho de ervas.

santiagocentolla

Há vários restaurantes especializados nas delícias chilenas, o Donde Augusto é um dos mais famosos.

No mercado tem várias empresas de turismo que vendem passeios para o Vale Nevado. Decidimos o de melhor custo benefício e compramos neste momento.

Após o almoço fomos de taxi para o Cerro de Santa Lucia. Passamos o restante da tarde lá. Contemplar as cordilheiras é espetacular! Passamos a tarde nos entregando a este ócio até o pôr do sol. Sem palavras!

2º dia – Fomos para o Valle Nevado. Infelizmente não foi uma experiência muito boa. A van da empresa tem que pegar outros turistas, e o tempo se torna escasso. A caminho do vale para-se para alugar as roupas de usar na neve, o que também toma tempo pela quantidade de pessoas.

A subida demora, e a visita ao vale em si, foi muito rápida. Descendo um pouco ficamos em Farellones, onde nos divertimos de skibunda…rsrs (descida em bóia), e snowboard.

vallenevadovallenevado2
Voltamos no final do dia, moooortos, e com a sensação de que precisamos de outra visita a neve, pois essa deixou a desejar.

3º dia – Fomos para os outlets. Almoçamos por lá. Alugamos uma van no hotel, que nos levou e nos pegou, pois é distante. Os preços são pouco convidativos. Valeu pela compra de camisas sociais masculinas e ternos na Pierre Cardin. Tem um galpão que vende vinhos no atacado com preços bons. Nada mais fora isso!

Na volta ficamos no Cerro de San Cristobal. Sobe e desce de funicular, um plano inclinado. O por do sol é algo indescritível. Da para ver a cordilheira passar por diversas nuances de cor. Parada obrigatória!

Descemos no início da noite e fomos andando para o restaurante Como Água para Chocolate (PERFEITO!!!). Tem que reservar pois a procura é muito grande. A noite o restaurante abre as 19hs. Ficamos em uma filinha na porta e deu certo entrarmos.
Não saberia explicar como a comida combina beleza e sabor. Tudo é gostoso! Saímos de lá, já deixando reservado uma mesa para almoçarmos dali a dois dias.
santiagocomoagua

Vale a pena caminhar um pouco pelo pátio Bellavista a noite. É bem pertinho, e o local é repleto de restaurantes e barzinhos. Super legal!

4º dia – Alugamos uma van particular para visitarmos Valparaíso e Viña del Mar. Nesta viagem estávamos em 7 pessoas e essa foi a melhor opção. As cidades ficam a 100km de Santiago. No meio do caminho conhecemos a Vinícola Emiliana, considerada a maior vinícola orgânica do mundo. Vale a pena investir em alguns rótulos.

As duas cidades são muito próximas e muito diferentes uma da outra. O relógio de flores é um ponto muito visitado e parada obrigatória para fotos.

vinadelmar

A noite fomos “pernar” no shopping. No bairro de Providência, onde estávamos hospedados, fica o Costanera Center. Seis andares de muita beleza e uma praça de alimentação com diversas opções.

5º dia – Dia de conhecer a vinícola Concha y Toro. A mais famosa do Chile. Pegamos o metrô na estação Los Leones, próxima ao hotel e fomos até a estação Plaza de Puente Alto, a ultima da linha 4 (azul). De lá pegamos um taxi, que custou o equivalente a R$ 5,00, pois é bem perto. Fizemos o tour com degustação e indicamos fazê-lo. Consulte o site da vinícola www.conchaytoro.com para ver os horários dos tours em português e os valores.
conchaytoro

Fizemos o caminho de volta, taxi até a estação e depois metrô até a estação Baquedano. De lá caminhamos até o restaurante Azul Profundo especializado em frutos do mar!
Como o Pátio Bellavista é próximo, vale a pena conhecer o local durante o dia. Por sorte vocês conseguem assistir apresentações de artistas de rua.

Seria legal tentar encaixar no roteiro uma visita a La Chascona, casa de Pablo Neruda, que fica próximo ao Pátio Bellavista. A casa é um museu com visita guiada (tem em português) que lhes permite visitar aquela que foi a última casa do maior poeta chileno e também o mais querido. Nós não conseguimos porque necessita de reserva. Consulte sites oficiais para horários e tarifas.

6º dia – Pegamos o metrô em direção a estação Los Dominicos, para visitarmos o Centro Artesanal Los Dominicos. É um “pueblito” onde se reúne artesanato de todas as partes do Chile. Local diferente com boas oportunidades de compras.

losdominicos

Uma dica, não vá muito cedo. O local abre todos os dias apartir das 10hs. Consulte o site paseolosdominicos.cl para maiores informações.

Após comprinhas valiosas, voltamos para almoçar novamente no Como Água para Chocolate. Pensem numa comida boa!!!

A tarde fomos conhecer um shopping com ambientes fechados e a céu aberto chamado Parque Arauco. Muito agradável!

Bom, esse foi nosso roteiro. Esperamos que algo possa te ajudar em sua viagem.

…carimbando o passaporte