Tereza Paim arrecada doações para a Feijoada de Santo Antônio

De 10 a 13 de junho, a chef entregará cerca de 1.500 feijoadas de Santo Antônio para as instituições OSID, Martagão Gesteira e pessoas de rua
Devota de Santo Antônio, o santo casamenteiro, a chef Tereza Paim, mantendo a tradição, com doses de solidariedade e amor ao próximo, está arrecadando doações, para preparar a Feijoada de Santo Antônio. De 10 a 13 de junho, dentro da trezena de Santo Antônio, a meta da chef é distribuir 1.500 feijoadas para os profissionais de saúde e da linha de frente da covid-19 das instituições parceiras de Tereza, como o Hospital Martagão Gesteira, Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), pessoas de rua, igrejas e comunidades.
“Glorioso Santo Antônio, rogai por nós. Vamos ajudar e ser solidários. Aceitamos produtos de boa qualidade. A comida que irei servir tem que ter a mesma qualidade das comidas de meu restaurante”, declara Tereza. A feijoada acompanha a ‘Farofa Branquinha’, que faz parte da linha de farofas artesanais assinadas por Tereza. Para contribuir com doações, que podem ser em dinheiro ou em produtos da feijoada, como carnes, linguiças e outros ingredientes, para esta ação beneficente basta entrar em contato com o número (71) 98868-8113 ou ligar para o restaurante Casa de Tereza (71) 3329-3016. 
Como domingo é dia de comer feijoada, no dia 13 de junho, data em que é celebrado o Dia de Santo Antônio, baianos, turistas e devotos poderão almoçar a deliciosa feijoada, no Restaurante Casa de Tereza, a partir das 12h. O prato que faz parte do cardápio de gastronomia regional, é perfeito para duas pessoas, e acompanha farofa, arroz, laranja, couve, torresmo e banana. O estabelecimento segue criteriosamente todos os protocolos sanitários impostos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para conforto e segurança de seus clientes e funcionários.
Os pedidos Delivery e Take Away e reservas podem ser feitos através do WhtasApp (71) 99170-6475 ou (71) 3329-3016. O Restaurante Casa de Tereza está localizado na Rua Odilon Santos, 45, Rio Vermelho.
Um pouco de história
De acordo com Tereza Paim, Levar as feijoadas para as ruas de Salvador, é uma tradição que acontece há mais 50 anos por Dodó, uma devota ardorosa, que em vida tinha habilidades para conversar com o Santo, rezava a trezena todos os anos e também promovia a “noite da encalhadas”, onde em fervor, as devotas pediam por seus casamentos, tradição seguida pela família até hoje.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s